CEE

10/07/2018

CEE/PR participa de Discussão sobre Proposta Curricular Unificada

O Conselho Estadual de Educação do Paraná, representado por seu Presidente, Prof. Dr. Oscar Alves, pelo Secretário-Geral, Prof. Cleto de Assis e pela Coordenadora Técnica Pedagógica, Larice Klichovski,  participou, no dia 18 de junho de 2018, em Curitiba,  da discussão sobre a Proposta Curricular Unificada no Estado do Paraná.

Estiveram presentes no evento Secretários Municipais de Educação e Presidentes dos Conselhos Municipais de Educação dos 17 municípios do Estado do Paraná que têm autonomia para definir as próprias normas educacionais, isto é, já instituíram seus sistemas de ensino (Chopinzinho, Londrina, Toledo, Ponta Grossa, São José dos Pinhais, Guarapuava, Araucária, Ibiporã, Curitiba, Paranaguá, Jacarezinho, Sarandi, Pinhais, Cascavel, Palmeira, Palmas e Telêmaco Borba), além de representantes do Comitê Gestor da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) no Paraná, que é formado por representantes da Secretaria de Estado da Educação (Seed), do Conselho Estadual de Educação (CEE), da União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e da União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação (Uncme).

Na discussão foi proposto o Termo de Colaboração e Cooperação entre o Estado e esses 17 municípios que garantirá a implementação da BNCC, de forma harmônica em todo o Estado, propiciando que os municípios com Sistema Próprio de Educação também sigam as orientações do Sistema Estadual de Ensino.

O chefe do Departamento de Educação Básica da Seed e Coordenador Estadual da BNCC, Cassiano Roberto Nascimento Ogliari disse que “o objetivo é ter um Referencial Curricular para todas as redes de ensino, que facilite o que deve ser ensinado no processo de escolarização em todas as disciplinas, além de contribuir para o planejamento escolar, formação dos professores e adaptação dos alunos”. Ainda segundo Ogliari, a proposta de unificar o Sistema Educacional do Estado do Paraná, em torno de um Referencial Curricular, garante aos municípios e escolas autonomia pedagógica, uma vez que neste documento serão definidos princípios, direitos de aprendizagem e orientações paras as redes de ensino, resguardando a autonomia dos municípios e das escolas.



Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.