CEE

24/06/2019

O Superintendente-Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior participa de Sessão Plenária no CEE/PR

O Superintendente-Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e Conselheiro Titular licenciado do Conselho Estadual de Educação do Paraná, Prof. Dr. Aldo Nelson Bona, participou, na manhã do dia 10 de junho de 2019, da 5.ª Reunião Ordinária deste Colegiado, 15ª Sessão, para apresentar o atual panorama do ensino superior público, municipais e estadual, no Paraná.

Durante a reunião, Aldo Bona afirmou que o objetivo da Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior é formular, coordenar e apoiar políticas públicas para consolidar a inserção regional do Sistema Estadual de Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação como condição indispensável ao desenvolvimento econômico do Estado, com vistas à melhoria da qualidade de vida da comunidade.

Para isso, foram traçados três eixos temáticos: Desenvolvimento Regional e Popularização da Ciência; Inovação e Competitividade; e Reestruturação da Gestão Administrativa, além de implantados dois novos programas: “Paraná Mais Ciência – Pesquisa e Extensão com Foco na Inovação” e “Qualidade no Ensino Superior de Base Regional”.

De acordo com o levantamento apresentado pelo Superintendente-Geral, mais de 94 mil alunos estão inscritos em universidades estaduais. Desse montante, 55% cursaram integralmente a Educação Básica na rede pública. Bona também informou que o Paraná possui 15.827 doutores declarados, sendo que 4.735 atuam na rede estadual de ensino. “Nas universidades estaduais, 63% do corpo docente são doutores e 29% mestres”, relatou.

O Superintendente também expôs que o Paraná é o segundo estado mais inovador do Brasil,  segundo a Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), que faz um levantamento de como cada estado brasileiro se posiciona em diferentes aspectos do processo inovador. São mensurados aspectos multidimensionais do processo de inovação e traçado um ranking nacional. O objetivo é identificar lacunas e direcionar políticas para a melhoria e o desenvolvimento da inovação no Brasil.

“Após São Paulo, o Paraná é o estado que mais investe em ciência e tecnologia”, ressaltou Bona, o  qual explicou que os Núcleos de Inovação Tecnológica ou Agências de Inovação dão apoio e estruturação ao desenvolvimento de inovações no estado, sobretudo nas universidades estaduais.

O Superintendente abordou ainda o papel da Universidade sem Fronteiras, que executa políticas públicas por meio de projetos de extensão em cidades com baixo Índice de Desenvolvimento Humano, atendendo às áreas da Educação, Promoção à Saúde, Agricultura Familiar e Agrotecnologia, Inovação e Diversidade Cultural, Inclusão e Direitos Sociais.

Dentre as prestações de serviços para a comunidade, promovidas por meio de extensão universitária, destacam-se os Escritórios de Aplicação Jurídica, os Centros Odontológicos, os Hospitais Universitários e Veterinários, os Laboratórios de Análises Clínicas, as Clínicas de Psicologia e Fisioterapia, os Museus, a Fazenda Escola e as Inovações Tecnológicas.

“Buscamos uma maior inserção das universidades estaduais nos diferentes setores da sociedade, alavancando o desenvolvimento regional e melhorando a eficiência do sistema, gerando, com isso, emprego e renda para a população”, concluiu Aldo Bona.

Universidades vinculadas ao Sistema Estadual de Ensino Superior – Universidade Estadual de Londrina (UEL), Universidade Estadual de Maringá (UEM), Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) e Universidade Estadual do Paraná (Unespar).

Instituições de Ensino Superior Municipais – Centro Universitário de União da Vitória (UNIUV), Faculdade Municipal de Educação e Meio Ambiente (FAMA), município de Clevelândia, Fundação Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Mandaguari (FAFIMAN).
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.