Pastor Protestante e Padre Diocesano fazem palestra na Comissão de Ensino Religioso do CEE/PR
29/11/2022 - 08:02

O Conselho Estadual de Educação do Paraná vem realizando uma série de palestras sobre diferentes religiões presentes no estado do Paraná a fim de dialogar com os diversos credos para obter o maior número de informações possíveis que contribuam ao desenvolvimento do trabalho da Comissão do Ensino Religioso, que foi instituída por meio da Portaria n.º 08/2022, para desenvolver estudos referentes à atualização da Deliberação n.º 01/2006, e trata das normas para o Ensino Religioso do Sistema de Ensino no Paraná. Na 5.ª reunião, que ocorreu em novembro de 2022, a comissão contou com a presença do Pastor Jorge Schieferdecker e do Padre diocesano Volnei Carlos de Campos.

O Pastor Jorge Schieferdecker é Presidente da Associação Inter-Religiosa de Educação (Assintec), possui graduação em Teologia pela Escola Superior de Teologia (EST) e Pedagogia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Tem especialização em Gerontologia pela Faculdade de Administração, Ciências, Educação e Letras (FACEL) e mestrado em Geografia pela UFPR. Foi pastor sinodal do Sínodo Paranapanema, da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), por duas gestões (2006-2014). Exerceu o Ministério Pastoral na Paróquia Evangélica de Confissão Luterana Bom Pastor de Curitiba e foi coordenador do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC) - Regional de Curitiba, possuindo larga experiência ecumênica e diálogo inter-religioso.

Segundo Schieferdecker, desde que chegou em Curitiba, há 20 anos, se envolveu com a  Assintec devido sua importância para o Ensino Religioso. A associação é uma entidade civil de caráter educacional que atua em parceria com o poder público na efetivação do Ensino Religioso nas escolas do Paraná e promove o diálogo inter-religioso, o respeito às diferenças culturais e religiosas, além de dar apoio pedagógico aos professores desta área do conhecimento. Dentre as atividades da Assintec, estão as assessorias, os cursos e as oficinas pedagógicas, que têm como objetivo contribuir na capacitação de professores para a prática do Ensino Religioso.

A Assintec foi criada em 02 de janeiro de 1973, quando efetivou-se um convênio com a Secretaria de Estado da Educação do Paraná e depois com a Secretaria Municipal de Educação de Curitiba. A associação passou por diferentes fases nestas décadas de existência. Primeiramente, surgiu como entidade ecumênica, a fim de superar o modelo catequético do Ensino Religioso, e mais tarde passou a enfatizar o trabalho pedagógico focado em valores humanos. No entanto, “mesmo com seu brilhante trabalho desenvolvido, não teve espaço em todos os municípios do Paraná. Isso se deve ao fato de as Secretarias de Educação municipais acreditarem que o Ensino Religioso proposto pela Assintec era confessional”, afirmou Schieferdecker.

O Padre Volnei Carlos de Campos foi missionário por oito anos no estado do Amazonas, posteriormente morou no Canadá por mais alguns anos e por fim retornou ao Brasil para trabalhar na cidade de Curitiba. É graduado em Filosofia e Teologia e possui mestrado em Liturgia. Atualmente, é Assessor da Comissão do Ecumenismo e Diálogo Inter-Religioso da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) - Regional Sul e pároco da Paróquia Santo Agostinho. Também representa a Arquidiocese Católica de Curitiba e a CNBB Sul II na Assintec.

O pároco ressaltou a relevância do trabalho da Assintec para a educação paranaense, pois “até 1962 os padres e a igreja que fizessem parte do ecumenismo eram ex-comungados da Instituição, mas com o movimento do Vaticano II mudou-se a visão do ecumenismo e todas as igrejas passaram a ser reconhecidas como de Cristo”.  A falta do reconhecimento do ecumenismo até o início da década de 1960 era tão grave que um protestante não podia ser enterrado num cemitério católico. Na contemporaneidade, o ecumenismo na Igreja Católica Romana não é opcional, mas faz parte da identidade da instituição. “Houve uma mudança radical e abriu-se para o diálogo inter-religioso”, ressaltou. Campos ainda destacou que o documento do Vaticano II assinado com o Brasil estabelece que o Ensino Religioso deve ser interconfessional. Assim, “as igrejas devem se abrir para o diálogo e a fé não pode gerar proselitismo ou Fundamentalismo”, afirmou Campos.

 O Presidente da Comissão de Ensino Religioso, Conselheiro Flávio Vendelino Scherer, disse que o Ensino Religioso fundamentado no ecumenismo e no diálogo inter-religioso, é o caminho para promover o respeito entre as diferentes religiões, credos e culturas e, consequentemente, construir uma cultura de paz na sociedade vigente.

 

Presentes na Reunião: Jorge Schieferdecker (Pastor Luterano); Volnei Carlos de Campos (Padre Diocesano); Flávio Vendelino Scherer, Ana Seres Trento Comin, Maria das Graças Figueiredo Saad, Ozélia de Fátima Nesi Lavina (Conselheiros do CEE/PR e membros da Comissão de Ensino Religioso),  Izabelle Ricardo Ramos Mayerle (Secretária da Comissão de Ensino Religioso – CEE/PR), Elza Fagundes da Silva (Assessora Técnica do CEE/PR); Adriana Guimarães Boiko e Jorge Luiz Alves (Assessores Pedagógicos do CEE/PR); Anderfabio Oliveira dos Santos (Chefe do Departamento de Desenvolvimento Curricular da Secretaria de Estado da Educação e do Esporte do Paraná); Eloi Corrêa dos Santos (Técnico Pedagógico da Assintec).